In Gestão Avançada

Parâmetros de controle S-PAA.

29,5 MW/dia, 2% no rendimento fermentativo e 0,53% no rendimento da extração são alguns ganhos obtidos por usinas utilizando a tecnologia

No início desta safra a Usina Estiva, de Novo Horizonte (SP), identificou uma oportunidade com fechamento de laço na parte de energia e vêm obtendo um incremento na exportação de Energia de 29,5 MW/dia, o que equivale a R$ 1.290,625 por safra.

A Usina Gaúcha, do Grupo USACUCAR, do Paraná, identificou que a operação de alimentaçao das dornas, mesmo atenta, nao conseguia garantir o atingimento do tempo de carregamento e o controle de brix e vazão de mosto, pela impossibilidade de repetibilidade e ao fato das dornas terem capacidades diferentes.

Já trabalhando com o S-PAA em Laço Aberto, a gestão da usina identificou a portunidade de controlar a alimentaçao das dornas com ART constante através da implementação de Laço Fechado.

Implementações.

Implementações.

Consequência da repetibilidade, operação menos demandada, preparação e controle mais adequado das cubas, redução do consumo de insumos, melhoria na ocupação das dornas, facilitação da gestão da fermentação em Laço Aberto e da implementação do Laço Fechado, a Usina Gaúcha conseguiu um aumento de cerca de 2% no rendimento fermentativo.

Já a Bevap, de João Pinheiro (MG), implantou o controle automático da embebição da moenda por Laço Fechado do S-PAA, garantindo a constância da embebição % fibra e, por consequência, um aumento da nível de extração da moenda, evitando a geração de excesso de caldo, que na sequência consumirá vapor no seu tratamento/evaporação, além de garantir a umidade ideal do bagaçao que enviado às caldeiras.

O resultado foi um incremento médio de 0,53% na extração, equivalente a 0,6149 t/h de ART, representando um ganho estimado de R$ 2 milhões de reais na safra, considerando o mix atual da Usina.

 

Recommended Posts