In Gestão Avançada

3 usinas estão localizadas no Paraná, 2 em Goiás, 1 em Mato Grosso e 1 em São Paulo

Sete novas usinas brasileiras deverão iniciar a safra 2018/19 utilizando a mais avançada tecnologia de gestão industrial, com a implantação do software de otimização em tempo real S-PAA. Estas somam-se às treze plantas que já utilizam o software para obter a máxima performance econômica de seus ativos e recursos industriais.

No Paraná, o Grupo Usaçúcar – Santa Terezinha, um dos cinco maiores na produção de cana no Brasil, com nove unidades produtoras, expande a utilização do S-PAA para a última unidade em operação sem o sistema.

A Usina de Goioerê, localizada no município de Moreira Sales, também no Paraná, irá começar a safra de 2018 já com o sistema operando. O Grupo segue buscando a excelência na operação de seus processos industriais, minimizando as perdas e aumentando o aproveitamento do ART processado.

Saiba mais sobre a tecnologia de Otimização em Tempo real nas Usinas

Outra usina paranaense, a Jussara, que pertencente à Companhia Melhoramentos Norte do Paraná e produz cerca de 2,7 milhões de toneladas de cana e 200 milhões de litros de etanol por safra, também já iniciou a modelagem de sua planta industrial.

Em outubro, os diretores, gerentes, supervisores e encarregados receberam a equipe de engenheiros da Soteica para as reuniões de kick-off de implantação do Software S-PAA. A participação de toda a equipe da usina foi importante e vai garantir que o software já inicie a sua atuação nos primeiros dias da safra de 2018.

Agora em dezembro, foi a vez de mais uma unidade paranaense, a Usina Jacarezinho, optar pelo S-PAA para otimizar sua produção e processos industriais. A Jacarezinho mói aproximadamente 2,4 milhões de toneladas de cana e produz 140.000 toneladas de açúcar e 90 milhões de litros de etanol por safra.

Já no estado de Goiás, duas unidades avançam para implantar o S-PAA ainda nesta entressafra. A primeira foi a Goiasa, localizada em Goiatuba, e mói aproximadamente 3,1 milhões de toneladas de cana e produz 205.000 toneladas de açúcar e 120 milhões de litros de etanol por safra. A Goiasa optou por iniciar o projeto do S-PAA com foco na otimização da produção e exportação de energia, além de estabilidade e redução do consumo de vapor de processo.

Alexandre Menezes, gerente de divisão industrial corporativo, e Danilo Fernando Gutierrez, Gerente Novos Negócios, do Grupo Pedra Agroindustrial

Já no estado do Mato Grosso, como parte de um amplo projeto de modernização de seu parque industrial, a Usinas Itamarati adquiriu o S-PAA para operação já no início da próxima safra. Instalada em Nova Olímpia, interior de Mato Grosso, a Itamarati moeu 4,51 milhões de toneladas de cana e produziu 200.100 toneladas de açúcar e 229 milhões de litros de etanol nesta safra 2017/18, encerrada recentemente.

Em São Paulo, outro importante grupo produtor que optou pelo S-PAA foi a Pedra Agroindustrial. A unidade escolhida foi a de Serrana e, assim como a Goiasa, o foco inicial foi na otimização da produção e exportação de energia, além de estabilidade e redução do consumo de vapor de processo. Composto por três unidades produtoras – Da Pedra, Buriti e Ipê, a Pedra Agroindustrial mói aproximadamente 10 milhões de toneladas de cana e produz 250.000 toneladas de açúcar e 600 milhões de litros de etanol por safra.

Além destas sete unidades, mais cinco usinas brasileiras encontram-se em fase de negociação e de formalização de contrato, incluindo 3 grupos produtores Top 10 do país, e uma usina no exterior.

Cases mais recentes:

PARANACITY COMPROVA QUE É SEMPRE POSSÍVEL EVOLUIR E REDUZIR CUSTOS OPERACIONAIS – Ganhos alcançam R$ 7,8 milhões na safra 2017/18

Gestão Participativa potencializando os Resultados da Otimização On-Line – Case da Usina Pitangueiras

BALDIN BIOENERGIA – MAIS UM CASE DE SUCESSO NA IMPLEMENTAÇÃO DO S-PAA

A SEGURANÇA OPERACIONAL QUE VEM COM A OTIMIZAÇÃO ON-LINE

Recent Posts
Translate »